DICTUM

A-a

  • A ambição cerra o coração.
  • A ambição desagrada a todos, a observância das leis agrada.
  • A ambição desenfreada agita as mentes arrogantes.
  • A ambição e a arrogância, os maiores vícios dos poderosos.
  • A ambição e a disputa dos cargos é vergonhosa.
  • A ambição é a fonte e a origem dos males.
  • A ambição e a ira são os piores conselheiros.
  • A ambição é a mãe da crueldade, o pai é a loucura.
  • A ambição é a mãe de toda improbidade.
  • A ambição é a maior praga da raça humana.
  • A ambição é a própria essência do homem.
  • A ambição e o amor do luxo arruinaram todos os grandes impérios.
  • A ambição é o fundamento de todos os vícios.
  • A ambição é uma doença que só encontra remédio sob alguns palmos de terra.
  • A ambição enche a cabeça e cerra a razão.
  • A ambição enche a cabeça e cerra o coração.
  • A ambição guardará melhor a vida que o medo.
  • A ambição impele o homem para qualquer maldade.
  • A ambição não é senão o desejo desmedido de bens ou de glória.
  • A ambição não ouve a razão alheia.
  • A ambição tem este defeito: não olha atrás de si.
  • A ambição tortura e tritura os homens.
  • A ambigüidade ou a dúvida sempre devem ser interpretadas no sentido mais favorável.
  • A amiga e o amigo mais aquentam que bom lenho.
  • A amigo não encubras teu segredo, que darás causa a perdê-lo.
  • A amizade algumas vezes não vê, e a inimizade fica cega na própria luz.
  • A amizade das pessoas indignas não pode ser obtida senão por meios indignos.
  • A amizade de um único homem ajuizado é melhor que a de todos os imprudentes.
  • A amizade deve achar a igualdade, ou estabelecê-la.
  • A amizade deve ser não só jovial como também franca e agradável.
  • A amizade dos pobres é mais segura que a dos ricos.
  • A amizade é auxiliar das virtudes.
  • A amizade é sempre benéfica; o amor, às vezes, até prejudica.
  • A amizade entre os povos.
  • A amizade está ao ganho como a mulher do mundo.
  • A amizade finda onde a desconfiança começa.
  • A amizade fundada na cobiça é onzena.
  • A amizade mais agradável é a que a semelhança de caracteres uniu.
  • A amizade mais se há de mostrar na adversidade.
  • A amizade nada mais é que a afinidade de todas as coisas divinas e humanas.
  • A amizade não é excluída de nenhum lugar.
  • A amizade não só é útil como dá prazer.
  • A amizade nascida entre copos geralmente é de vidro.
  • A amizade nunca é intempestiva, nunca é prejudicial.
  • A amizade ou aceita iguais ou faz iguais.
  • A amizade ou encontra iguais ou faz iguais.
  • A amizade que acabou nunca foi verdadeira.
  • A amizade que pode acabar nunca foi verdadeira.
  • A amizade só pode existir entre pessoas de bem.
  • A amizade torna mais agradável a felicidade, e, partilhando a adversidade, torna-a mais leve.
  • A amizade vale mais do que o parentesco, porque do parentesco se pode retirar a afeição, da amizade não se pode.
  • A amizade, se é verdadeira, é eterna; mas, se tiver acabado, nunca foi verdadeira.
  • A amo ruin, mozo malsín.
  • A amor mal correspondido, ausencia y olvido.
  • A amor y fortuna, resistencia ninguna.
  • A analogia da lei.
  • A analogia do direito.
  • A anarquia tem por castigo e por corretivo a tirania.
  • A andorinha anuncia o verão.
  • A andorinha é a anunciadora do verão.
  • A andorinha que chega é o início da primavera.
  • A ânfora que vai muito à fonte se arrisca muito.
  • A ânfora velha sabe ao que carregou a ânfora nova.
  • A anistia.
  • A año tuerto, el huerto.
  • A año tuerto, labrar un huerto.
  • A ansiedade do espírito.
  • A antigüidade deve ser sempre venerada por nós, se tivermos juízo.
  • A aparência de coragem tem sua parte na vitória.
  • A aparência do mal.
  • A apelação é uma provocação a um juiz superior.
  • A aplicação é a mãe da ciência.
  • A aplicação é a vida de uma regra.
  • A apressada pergunta vagarosa resposta.
  • A apressada pergunta, vagarosa resposta.
  • A aquel que esperar puede, todo a su tiempo y voluntad le viene.
  • A aranha vive do que tece.
  • A aranha, da boa flor, faz má peçonha.
  • A aranha, da boa flor, faz peçonha.
  • A araruta tem seu dia de mingau.
  • A arbitrio de buen varón.
  • A árbol caído, todo son piedras.
  • A Arca da Aliança.
  • A Arca do Testamento.
  • A areia do mar, e as gotas da chuva, e os dias do mundo, quem contou?
  • A areia é agradável, mas não nos olhos.
  • A arma e o alguidar não se hão de emprestar.
  • A armadilha apanhou o rato.
  • A arrogância gera ódio.
  • A arruda é uma erva nobre, porque torna os olhos penetrantes.
  • A arte (da medicina) é vasta, mas a vida (do paciente e do médico) é breve.
  • A arte conservadora de todas as artes.
  • A arte consiste em ocultar a arte.
  • A arte das artes.
  • A arte de adular.
  • A arte de amar.
  • A arte de aprender.
  • A arte de dizer.
  • A arte de enganar.
  • A arte de ensinar.
  • <<< 1 2 3 4 >>>

    alphabetical
    A-a A-b A-c A-d A-e A-f A-g A-h A-i
    A-j A-k A-l A-m A-n A-o A-p A-q
    A-r A-s A-t A-u A-v A-w A-y A-z
    Aa Ab Ac Ad Ae Af Ag Ah Ai Aj Ak Al Am
    An Ao Ap Aq Ar As At Au Av Aw Ax Ay Az
    Ba Be Bi Bj Bl Bo Br Bs Bu By

    keywords
    Aa Ab Ac Ad Ae Af Ag Ah Ai Ak Al Am An Aq Ap Ar As At Au Av Aw Ax Az
    Ba Be Bi Bl Bo Br Bu By
    Ca Ce Ch Ci Cl Co Cr Cu Cy
    Da

    DICTUM operone