DICTUM

A-i

  • A impunidade começa por tornar as leis inúteis, e finda por torná-las ridículas.
  • A impunidade convida ao crime.
  • A impunidade é atrativo para o delito.
  • A impunidade estimula a permanente disposição de delinqüir.
  • A impunidade sempre estimula piores crimes.
  • A incerteza do termo da nossa vida lhe confere uma perpetuidade ilusória, mas aprazível.
  • A incerteza.
  • A inclusão (designação) de uma pessoa é a exclusão da outra.
  • A inconstância da fortuna assusta os felizes e anima os infelizes.
  • A inconstância da sorte.
  • A inconstância é própria da sorte.
  • A incurável paixão de escrever.
  • A Índia, mais vão do que tornam.
  • A Índia, ou vende caro o que tem, ou troca com vantagem.
  • A indicação deve ser feita pelo mais eminente.
  • A indigência induz ao crime.
  • A indignação faz os versos.
  • A indolência chegou com o ócio.
  • A indolência é a maior peste do país.
  • A indolência enfraquece o corpo, o trabalho o fortalece; aquela faz a velhice precoce, este prolonga a juventude.
  • A indulgência do pai faz dos filhos uns inúteis.
  • A indulgência do pai não consegue ter bons filhos, nem a indulgência do senhor consegue ter bons criados.
  • A indulgência do pai não logra boas filhas.
  • A indulgência excessiva faz o grande ladrão.
  • A indulgência para o vício é uma conspiração contra a virtude.
  • A indústria é a mão direita da fortuna, e a economia é a esquerda.
  • A inércia e a imobilidade fazem mais dano (ao corpo humano) que o exercício.
  • A inexperiência da mocidade deve ser regulada e dirigida pela prudência dos velhos.
  • A infâmia é imortal; ela vive mesmo quando se crê que esteja morta.
  • A infâmia provém do crime, não da punição.
  • A infância deve ser afastada da adulação.
  • A infância tem seus prazeres.
  • A infelicidade constante tem uma única boa qualidade: ela finalmente enrijece a quem sempre atinge.
  • A infelicidade é queixosa, mas a felicidade é orgulhosa.
  • A informação mais segura vem dos membros da família.
  • A inglesa.
  • A ingratidão dos povos sempre corresponde à extensão dos benefícios recebidos.
  • A ingratidão é a sombra do benefício.
  • A ingratidão é o cancro moral de todos os crimes.
  • A ingratidão indigna e destrói.
  • A ingratidão seca a fonte da piedade.
  • A inimigo que foge, ponte de ouro.
  • A inimigo que foge, ponte de prata.
  • A inimizade dos poderosos é perigosa.
  • A inimizade é uma ira que espera o momento de vingar-se.
  • A injúria destrói o amor.
  • A injúria feita por rapazes deve ser mantida sem resposta.
  • A injustiça deve sempre ser evitada.
  • A injustiça é a violação voluntária do direito alheio, sem causa legítima.
  • A injustiça está na intenção de quem a faz.
  • A injustiça feita a um é uma ameaça feita a todos.
  • A injustiça juntou a injúria.
  • A injustiça não afeta o sábio.
  • A injustiça se faz de dois modos: ou pela força, ou pela fraude.
  • A inocência e a humildade são as duas glórias do espírito.
  • A inocência é a verdadeira felicidade.
  • A inocência é sempre acompanhada de sua própria luz.
  • A inocência é uma questão de costume: só forçada é que ela se afasta daquele com que esteve por muito tempo.
  • A insegurança é das crianças, a arrogância é dos jovens e a seriedade é da idade adulta.
  • A insensatez é sem dúvida irmã da malvadeza.
  • A insensatez geralmente leva à ruína.
  • A insensatez não se pode esconder, a não ser pelo silêncio.
  • A insensível sorte.
  • A insigne Corinto não foi construída num único dia.
  • A instrução é a salvaguarda da nação.
  • A instrução é um tesouro, e o talento nunca morre.
  • A inteligência aumenta a força, dando-lhe melhor direção e disciplina.
  • A inteligência continua vigorosa nos velhos, desde que permaneça o interesse e a dedicação.
  • A inteligência é obscurecida pelo vinho.
  • A inteligência engenhosa de um alemão produziu uma arte que era desconhecida dos gregos e dos latinos.
  • A inteligência se alimenta do esforço.
  • A inteligência sempre prevalece sobre a coragem.
  • A inteligência vence a força.
  • A intemperança é a mãe da ambição.
  • A intemperança é a mãe de todas as paixões.
  • A intenção criminosa.
  • A intenção da lei.
  • A intenção de abandonar.
  • A intenção de abusar.
  • A intenção de adiar.
  • A intenção de adquirir.
  • A intenção de ajudar.
  • A intenção de anular.
  • A intenção de auferir lucro.
  • A intenção de caluniar.
  • A intenção de causar dano.
  • A intenção de competir.
  • A intenção de confessar.
  • A intenção de confiar.
  • A intenção de conservar a posse.
  • A intenção de consultar.
  • A intenção de contratar.
  • A intenção de corrigir.
  • A intenção de defender.
  • A intenção de demorar.
  • A intenção de difamar.
  • A intenção de doar.
  • A intenção de enganar.
  • A intenção de evitar dano.
  • A intenção de falsear.
  • <<< 1 2 3 4 >>>

    alphabetical
    A-a A-b A-c A-d A-e A-f A-g A-h A-i
    A-j A-k A-l A-m A-n A-o A-p A-q
    A-r A-s A-t A-u A-v A-w A-y A-z
    Aa Ab Ac Ad Ae Af Ag Ah Ai Aj Ak Al Am
    An Ao Ap Aq Ar As At Au Av Aw Ax Ay Az
    Ba Be Bi Bj Bl Bo Br Bs Bu By

    keywords
    Aa Ab Ac Ad Ae Af Ag Ah Ai Ak Al Am An Aq Ap Ar As At Au Av Aw Ax Az
    Ba Be Bi Bl Bo Br Bu By
    Ca Ce Ch Ci Cl Co Cr Cu Cy
    Da

    DICTUM operone