DICTUM

A-m

  • A morte é o fim do sofrimento.
  • A morte é o fim que a natureza nos dá, e não castigo.
  • A morte é o final de todas as coisas.
  • A morte é o ladrão do homem.
  • A morte é o livramento e o fim de todos os sofrimentos.
  • A morte e o sofrimento são horríveis de se ver.
  • A morte é o supremo médico de todas as doenças.
  • A morte é o último acerto de contas.
  • A morte é o último argumento.
  • A morte é o último marco de uma carreira rápida.
  • A morte é preferível a uma vida desonrosa.
  • A morte é semelhante ao sono.
  • A morte é terrível para aqueles de quem tudo se acaba junto com a vida; mas não para aqueles cuja glória não pode morrer.
  • A morte é um castigo, mas, freqüentemente, para muitos é uma dádiva.
  • A morte é um porto tranqüilo para o eterno repouso.
  • A morte entra pela janela.
  • A morte está em toda parte.
  • A morte está na panela.
  • A morte está preparada para todos.
  • A morte está reservada a todos os homens, ricos e pobres.
  • A morte faz todos iguais.
  • A morte fere com espada igual as coisas grandes e as pequenas.
  • A morte hè un ladru di notte.
  • A morte iguala os cetros às enxadas.
  • A morte iguala os senhores aos servos e os cetros às enxadas.
  • A morte iguala todos os viventes.
  • A morte leva o melhor e deixa o pior.
  • A morte leva os bons e deixa os maus.
  • A morte leva os bons e deixa os ruins.
  • A morte liquida as contas.
  • A morte mais bela é morrer arrancando lágrimas dos seus.
  • A morte marca o limite de todas as coisas.
  • A morte não aceita desculpas.
  • A morte não dá importância a presentes.
  • A morte não é um bem nem um mal.
  • A morte não é um mal, mas o caminho para a morte é triste.
  • A morte não é um sofrimento, se se morre com quem se quer.
  • A morte não escolhe idade(s).
  • A morte não escolhe nem reis nem pobres.
  • A morte não há casa forte.
  • A morte não há coisa forte.
  • A morte não nos separará.
  • A morte não pode ser negada.
  • A morte não poupa nem o fraco nem o forte.
  • A morte não poupa ninguém.
  • A morte não poupa o fraco nem o forte.
  • A morte não se subordina à vontade humana.
  • A morte não tem remédio.
  • A morte não termina tudo.
  • A morte ninguém pode escapar.
  • A morte nivela tudo.
  • A morte nos afasta das coisas más, não das boas.
  • A morte o remédio é abrir a boca.
  • A morte obedece a uma lei: junto com o pobre leva o rei.
  • A morte para a criança é benevolente, para o moço é dolorosa, e para o ancião é tardia.
  • A morte persegue a todos, não menos aos reis do que aos plebeus.
  • A morte persegue até o homem que dela foge.
  • A morte persegue, a vida foge.
  • A morte preferível é morrer sem medo de morrer.
  • A morte que der a ventura, essa se sofra.
  • A morte que, por causa os acidentes inesperados, nos ameaça diariamente, nunca pode estar distante de nós.
  • A morte reclama tudo; morrer é lei, não castigo.
  • A morte semper homines tantumdem absumus.
  • A morte sempre tem uma desculpa.
  • A morte só atemoriza aquele que, muito conhecido por todos, morre sem se conhecer a si mesmo.
  • A morte trata a todos a mesma maneira.
  • A morte tudo nivela.
  • A morte voa em torno com suas asas negras.
  • A morte, na juventude, está na emboscada; na velhice, está à porta.
  • A morte, o remédio é abrir-lhe a boca/cova.
  • A morte, que a tudo igualmente dá fim, significa o término do casamento.
  • A morte, sem dúvida, é imparcial.
  • A morti ùn fighjolu à nimu in faccia.
  • A mortos e idos não há amigos.
  • A mortos e idos, poucos amigos.
  • A mórtos, e a idos, naõ ha amigos.
  • A mortuis tributum exigit.
    de] Er nehme es Gott vom Altar.
  • A mortuo non exspectes sermonem, nec ab avaro gratiam.
  • A mortuo tributum colligere.
  • A mortuo tributum exigere.
  • A mosca nunca pousa senão na fraqueza.
  • A mosca também tem a sua bílis.
  • A mosca também tem o seu fel.
  • A mosca tem a sua ira, e a formiga a sua bílis.
  • A moshel iz nit kain rai'eh.
    en] An example is no proof.
  • A mosquito can make the lion's eye bleed.
  • A most poor man, made tame to fortune's blows.
  • A mostra.
  • A mote may choke a man.
  • A moth will not fly around a candle which does not burn.
  • A mother hen.
  • A mother needs a large apron to cover her children's faults.
  • A mother's boy colloqial.
  • A motor mouth.
  • A moult de plaids, peu de faits.
  • A mountain (o. village) that can be seen can't be far away.
  • A mountain cannot be moved with a splinter.
    jiddisch] Me ken dem barg mit a shpendel nit avektrogen.
  • A mountain to climb.
  • A mourir.
  • A mouro morto, grande lançada.
  • <<< 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 >>>

    alphabetical
    A-a A-b A-c A-d A-e A-f A-g A-h A-i
    A-j A-k A-l A-m A-n A-o A-p A-q
    A-r A-s A-t A-u A-v A-w A-y A-z
    Aa Ab Ac Ad Ae Af Ag Ah Ai Aj Ak Al Am
    An Ao Ap Aq Ar As At Au Av Aw Ax Ay Az
    Ba Be Bi Bj Bl Bo Br Bs Bu By

    keywords
    Aa Ab Ac Ad Ae Af Ag Ah Ai Ak Al Am An Aq Ap Ar As At Au Av Aw Ax Az
    Ba Be Bi Bl Bo Br Bu By
    Ca Ce Ch Ci Cl Co Cr Cu Cy
    Da

    DICTUM operone