DICTUM

A-m

  • A mulher forte alegra o seu marido.
  • A mulher grávida aos três meses encobre, aos quatro quer e não pode.
  • A mulher honrada sempre deve ser calada.
  • A mulher louca mais agrada o pandeiro que a touca.
  • A mulher louca pela vista compra a touca.
  • A mulher louca, antes rabeca que roca.
  • A mulher muito louçã dar-se quer à vida vã.
  • A mulher não muda fé.
  • A mulher nenhum espelho chamou feia.
  • A mulher nenhuma o espelho chamou feia.
  • A mulher ociosa nunca fez bom feito.
  • A mulher ou ama ou odeia, não há terceira opção.
  • A mulher ou moça boa prata é que muito soa.
  • A mulher parida e à teia urdida, nunca lhes falta guarida.
  • A mulher prende o homem com mil correntes.
  • A mulher prudente edifica a sua casa.
  • A mulher que ama depois de passado o tempo do amor, ama com mais ardor.
  • A mulher que dá no homem, na terra do demo morre.
  • A mulher que é boa é digna de uma coroa.
  • A mulher que muito se mira, pouco fia.
  • A mulher que não vela, não faz grande teia.
  • A mulher que não vela, não faz larga tela.
  • A mulher que pouco fia, sempre faz ruim camisa.
  • A mulher que poupa seu namorado pouco poupa a si mesma.
  • A mulher que quer ser considerada muito bela não se recusa a ninguém.
  • A mulher que se casa com muitos não agrada a muitos.
  • A mulher que sempre fia, sempre traz má camisa.
  • A mulher que te quer, não dirá o que em ti houver.
  • A mulher que te quiser, não dirá o que em ti houver.
  • A mulher rabiadeira é como água em joeira.
  • A mulher ri quando pode e chora quando quer.
  • A mulher rica governa o marido.
  • A mulher rogada e a olha repousada.
  • A mulher sara e adoece quando quer.
  • A mulher se parece a regra geral.
  • A mulher sem dúvida nasceu da própria tardança.
  • A mulher só pode guardar segredo do que ignora.
  • A mulher sobeja em audácia, mas é deficiente em ponderação e razão.
  • A mulher velha, cabeçada nova.
  • A mulher velha, cabeçadas novas.
  • A mulher, ainda que rica seja, se é pedida, mais deseja.
  • A mulher, ao chorar, prepara armadilhas com suas lágrimas.
  • A mulher, como a franga, que caiba na manga.
  • A mulher, doce mal, ao mesmo tempo favo de mel e veneno.
  • A mulher, inda que rica seja, se é pedida, mais deseja.
  • A mulher, o estudo, a experiência e o vinho mudam a natureza do homem.
  • A mulher, o fogo e os mares são três males.
  • A mulher, o jogo e o vinho fazem errar o caminho.
  • A mulher, pela própria natureza, é sempre instável e mutante.
  • A mulher, por rica que seja, se a pedem, muito mais deseja.
  • A mulher, quando bebe e tagarela, parece-se muito com a rã.
  • A mulher, quando chora, arma ciladas com as lágrimas.
  • A mulher, quando chora, constrói armadilha com suas lágrimas.
  • A mulher, quando pensa por si, pensa mal.
  • A mulher, roca, e ao marido, espada.
  • A mulher, se é má, é um depósito de males.
  • A mulher, sem pôr o pé, faz pegada.
  • A muliere initium factum est peccati.
  • A mulieribus barbatis et inimicis reconciliatis careas.
  • A muller do mariñeiro, cando hai peixe ten dinero (La mujer del marinero, cuando hai pesca, tiene dinero).
  • A muller e a sardiña, canto máis pequerrechiña, máis riquiña.
  • A muller e a vaca, con dia para a casa.
  • A muller é o carniceiro médralle a carne na man.
  • A muller que se queixa, fai ben, si el lle deixa.
  • A multidão admira coisas desprezíveis.
  • A multidão anônima.
  • A multidão de chefes perdeu a Cária.
  • A multidão de generais perdeu a Cária.
  • A multidão de generais perdeu o palácio.
  • A multidão de livros dispersa a atenção.
  • A multidão de médicos matou o rei.
  • A multidão desordenada.
  • A multidão é coisa forte, mas falta-lhe juízo.
  • A multidão é exemplo do pior.
  • A multidão é inconstante como o vento.
  • A multidão é mutável e inconstante.
  • A multidão é sempre o indicador do pior.
  • A multidão esfomeada não conhece medo.
  • A multidão geralmente é inquieta.
  • A multidão incerta se divide em desejos opostos.
  • A multidão inconstante acompanha o mau senhor.
  • A multidão inconstante muda sempre com o governante.
  • A multidão inconstante.
  • A multidão muda com o governante.
  • A multidão se constitui de indivíduos.
  • A multidão segue facilmente a palavra de um só.
  • A multidão tem muitas cabeças, mas não tem cérebro.
  • A multidão vacilante acompanha seu senhor.
  • A multiplicação dos indivíduos é aplicada pela natureza por causa da conservação da espécie.
  • A mumentu semu peghju chè A Petra Curbara.
  • A mundo condito ad Heraclii Imperatoris annum vigesimum
  • A mundo condito.
    de] Seit Erschaffung der Welt.
    fr] Depuis la création du monde.
  • A munka mindent meggyöz.
  • A muque.
  • A murmuração passa, o dinheiro fica.
  • A muro basso ognuno (ci) si appoggia.
  • A muro cadente, tutti danno un calcio.
  • A muru vasciu ognun si appoja.
  • A Müs as iar sat üsh a Uugan.
    Nordfriesland
    Der Mund ist früher satt als die Augen.
  • A Musa excitará o talento dos poetas que tenham bebido.
  • <<< 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 >>>

    alphabetical
    A-a A-b A-c A-d A-e A-f A-g A-h A-i
    A-j A-k A-l A-m A-n A-o A-p A-q
    A-r A-s A-t A-u A-v A-w A-y A-z
    Aa Ab Ac Ad Ae Af Ag Ah Ai Aj Ak Al Am
    An Ao Ap Aq Ar As At Au Av Aw Ax Ay Az
    Ba Be

    keywords
    Aa Ab Ac Ad Ae Af Ag Ah Ai Ak Al Am An Aq Ap Ar As At Au Av Aw Ax Az
    Ba Be

    DICTUM operone