DICTUM

A-n

  • A natureza deu um defeito a cada criatura.
  • A natureza do homem em nada se parece com o vinho: o homem, quando envelhece, fica odioso, mas é imenso o encanto do vinho velhíssimo.
  • A natureza do vilão sempre segue sua condição.
  • A natureza dos homens é ávida de novidades e de viagens.
  • A natureza dos homens é ávida por novidade.
  • A natureza dos maus geralmente é volúvel e incerta.
  • A natureza dotou o espírito de sentidos adequados à percepção das coisas.
  • A natureza e a ciência nada fazem sem objetivo.
  • A natureza é a criadora das coisas.
  • A natureza é a mãe de todas as coisas.
  • A natureza é a mestra da arte.
  • A natureza é admirável principalmente nas coisas mínimas.
  • A natureza é grande nas coisas mínimas.
  • A natureza é independente e não se dobra às leis humanas.
  • A natureza é inflexível: não pode ser vencida, exige o que é seu.
  • A natureza é nossa mãe.
  • A natureza é o guia da vida.
  • A natureza é o melhor guia de bem viver.
  • A natureza é previdente em relação às necessidades.
  • A natureza é uma grande mestra: jamais erra.
  • A natureza em lugar nenhum deixa de oferecer recursos ao homem.
  • A natureza em muito supera a arte.
  • A natureza em suas operações não dá saltos.
  • A natureza encheu toda desgraça ou de medo ou de vergonha.
  • A natureza ensina aos homens todas as artes.
  • A natureza entregou à mulher a administração das atividades domésticas.
  • A natureza gerou todos os homens iguais.
  • A natureza humana com força se justifica.
  • A natureza humana é fraca para desprezar o poder.
  • A natureza humana é frágil e de curta duração.
  • A natureza inteira existe nas menores coisas.
  • A natureza jamais criou nada maior ou mais raro que o pacto da amizade.
  • A natureza limitou a carreira de nossa vida.
  • A natureza na verdade nada deu ao homem melhor do que a brevidade da vida.
  • A natureza nada deseja além do alimento.
  • A natureza nada faz debalde, não falta no necessário nem excede no supérfluo.
  • A natureza nada faz em vão.
  • A natureza não colocou nada tão alto, que a coragem não possa alcançar.
  • A natureza não dá saltos.
  • A natureza não dá saltos; a lei também não.
  • A natureza não deu a ninguém a vida para sempre, e nos que nascem já está fixado o dia do seu fim.
  • A natureza não deu o mesmo caráter a todos os mortais: um é mais cruel, outro é mais clemente.
  • A natureza não é mãe da raça humana, mas sua madrasta.
  • A natureza não é vencida pela ciência humana.
  • A natureza não falta no necessário, nem sobra no supérfluo.
  • A natureza não faz nada sem razão.
  • A natureza não gosta de nada isolado, e sempre se apóia em alguma coisa, como numa escora.
  • A natureza não nos deu o conhecimento dos limites das coisas.
  • A natureza não quer que a mulher governe.
  • A natureza nos deu as sementes do conhecimento, não nos deu o conhecimento.
  • A natureza nos deu as sementes do conhecimento.
  • A natureza nos deu um temperamento inquisidor.
  • A natureza nos fez parentes.
  • A natureza nos vincula primeiro aos deuses, aos nossos pais e à pátria.
  • A natureza oferece um caminho diferente a cada um.
  • A natureza pôs um corpo em torno do espírito como se fosse uma roupa.
  • A natureza prodigalizou aos homens tantas vantagens, que eles não podem desejar nada mais.
  • A natureza provê aquilo que ela exige.
  • A natureza puxa mais do que sete bois.
  • A natureza requer muito pouco.
  • A natureza retorna aos seus costumes.
  • A natureza sábia fica contente com comida moderada.
  • A natureza se contenta com pouco (trato).
  • A natureza selvagem.
  • A natureza sempre deseja o que é melhor.
  • A natureza sempre faz o melhor que pode.
  • A natureza suplanta a educação.
  • A natureza te impõe sua lei, mas ela mesma não aceita lei nenhuma.
  • A natureza tem horror ao vácuo.
  • A natureza tem horror ao vazio.
  • A natureza tem limites, a imaginação não os tem.
  • A natureza tudo pode e tudo faz.
  • A natureza vence a natureza, e deuses vencem deuses.
  • A natureza, tendo-nos dado as lágrimas, reconhece que deu à raça humana corações muito sensíveis.
  • A nau dos insensatos.
  • A naughty child must be roughly rocked.
  • A navalha esbarrou na pedra.
  • A navarra volveré por el canto de la jota, por el juego de pelota. a navarra volveré, digo, por el jugo de la bota.
  • A nave malconcia, ogni vento è contrario.
  • A nave rota, todo tiempo es contrario.
  • A nave rotta ogni vento è contrario.
  • A nave woto todo viento es contrario.
  • A navegar el marino y a sembrar el campesino.
  • A Navidad de Santa Lucía, crece el día un paso de gallina. De Navidad a los Reis, tan mala vez.
  • A navio roto todo vento é contrário.
  • A navio roto todos os ventos são contrários.
  • A navire brisé tous vents sont contraires.
  • A navire rompu, tous les vents sont contraires.
  • A nayer meylekh mit naye gzeyres, a nay yor mit naye aveyres.
    en] A new king with new decrees, a new year with new misdeeds.
    אַ נײַער מלך מיט נײַע גזרות, אַ נײַ יאָר מיט נײַע עבֿרות.
  • Â ne pas toucher avec des pincettes.
  • A ne rien faire, on apprend à mal faire.
  • A ne rien faire, on fait des dettes.
  • A ne vouloir être que soi, on finit pas être moins que soi.
    Lucien Arréat, 1841-1922
  • A near neighbour is better than a distant cousin.
  • A near-run thing.
  • A necesidad, no hay ley.
  • A necessary evil.
  • A necessary lie is harmless.
  • A necessidade aguça o engenho.
  • A necessidade aguça o entendimento.
  • <<< 1 2 3 4 5 >>>

    alphabetical
    A-a A-b A-c A-d A-e A-f A-g A-h A-i
    A-j A-k A-l A-m A-n A-o A-p A-q
    A-r A-s A-t A-u A-v A-w A-y A-z
    Aa Ab Ac Ad Ae Af Ag Ah Ai Aj Ak Al Am
    An Ao Ap Aq Ar As At Au Av Aw Ax Ay Az
    Ba Be

    keywords
    Aa Ab Ac Ad Ae Af Ag Ah Ai Ak Al Am An Aq Ap Ar As At Au Av Aw Ax Az
    Ba Be

    DICTUM operone