DICTUM

A-p

  • A palabras, palabras.
  • A palavra 'meu' só a Deus compete.
  • A palavra amigo é muito comum, mas a fidelidade é rara.
  • A palavra amizade comove até os corações bárbaros.
  • A palavra amizade dura enquanto é útil.
  • A palavra da boca muito vale e pouco custa.
  • A palavra dada deve ser respeitada.
  • A palavra dada, mesmo ao inimigo, deve ser cumprida.
  • A palavra divina.
  • A palavra doce multiplica os amigos e mitiga os inimigos.
  • A palavra doce multiplica os amigos e pacifica os inimigos.
  • A palavra doce multiplica os amigos.
  • A palavra doce te multiplicará os amigos.
  • A palavra é coisa muito leve.
  • A palavra é como a abelha: tem mel e ferrão.
  • A palavra é dada a todos, a sabedoria do espírito, a poucos.
  • A palavra é de prata, e o silêncio é de ouro.
  • A palavra é do tempo, e o silêncio, da eternidade.
  • A palavra é o mais fiel revelador da alma.
  • A palavra é o medicamento do espírito que sofre.
  • A palavra é o médico da ira.
  • A palavra é o médico do espírito doente.
  • A palavra é o médico do espírito que sofre.
  • A palavra é o mensageiro do entendimento.
  • A palavra é o remédio da dor.
  • A palavra é o retrato da alma; tal vida, tal discurso.
  • A palavra é o retrato do espírito.
  • A palavra é prata, o silêncio é ouro.
  • A palavra emitida não consegue voltar.
  • A palavra lançada ao vento.
  • A palavra madrasta é ímpia.
  • A palavra mãe é soberba e tem grande poder.
  • A palavra mendicus, mendigo, tem uma letra, n, mais do que a palavra medicus, médico).
  • A palavra não vale mais do que um bom presente?
  • A palavra oportuna é a melhor.
  • A palavra paz é doce, e ela mesma faz bem, mas entre paz e servidão há muita diferença.
  • A palavra pode curar a ira.
  • A palavra pronunciada não volta.
  • A palavra que vai não volta.
  • A palavra que, pela ordem, vem antes, colocas depois, antepondo as últimas às primeiras.
  • A palavra, como a flecha, despedida, não volta.
  • A palavra, como a flecha, não volta.
  • A palavra, como a pedra, não torna depois de lançada.
  • A palavras loucas, orelhas moucas.
  • A palavras loucas, ouvidos moucos.
  • A palha no olho alheio, e não a trave no nosso.
  • A pálida morte pisa com o mesmo pé as cabanas dos pobres e os castelos dos reis.
  • A palimpsest; wooden writing surface.
    la] Codex rescriptus.
  • A palo seco.
  • A paloma harta, la arveja la amarga.
  • A palomar caído, por demás es echarle trigo.
  • A palos entiende el burro.
  • A pan ajeno, navaja propia.
  • A pan comer.
  • A pan de quince días, hambre de tres semanas.
  • A pan duro, diente agudo.
  • A pan y agua.
  • A pan y cebolleta, no cumple trompeta.
  • A pan y cebolleta, no es menester trompeta.
  • A pan y cuchillo/y manteles.
  • A pan y mantel.
  • A pancia piena è facile dissertare di cura dimagrante.
  • A pancia piena si studia mal volentieri.
  • A panela dos camaradas pára de ferver, e, uma vez que a coisa vai mal, adeus amigos.
  • A panela em soar, e o homem em falar.
  • A panela não ferve bem.
  • A panela pelo chiar, ao homem pelo falar.
  • A panela, pelo soar; o homem, pelo falar.
  • A pani duru, bon denti.
  • A paño merchante, buena muestra delante.
  • Á panza llena no le gusta estudiar.
  • A panza llena, mejor se aconseja.
  • A pão de quinze dias, fome de três semanas.
  • A pão duro, dente afiado/agudo.
  • A pão e água familiar.
  • A pão e água.
  • A pão e laranjas.
  • A papá mono con bananas verdes.
  • A papa mono platanos verdes!
  • A papa mono, con bananas verdes no.
  • A papá mono, plátanos verdes.
  • A paper tiger.
  • A paper trail.
  • A pappula di trè donni hè sempri o dissapida o troppu salita.
  • A Pâques il meurt plus de chevreaux que de chèvres.
  • A Pâques ou à (la) Trinité.
  • A pâques, mauvais temps égale six semaines pendant.
  • A par de un río, ni compres viña(, ni olivar), ni caserío.
  • A par de.
  • A par do rio, nem vinha, nem olival, nem edifício.
  • A par e passo.
  • A par.
  • A paragone del molto che ignoriamo, è meno di niente quanto noi sappiamo.
  • A Parch mit gekräuselte Huur (Haar).
    Jüdisch-deutsch
    info] Ein grindiger Mensch. Von Leuten gebraucht, die sich auf ein eingebildetes Verdienst viel zugute tun; gleichsam ein mit Grind Behafteter, der sich etwa einbildet, schönes Haar zu besitzen.
  • A parede branca é o papel dos tolos.
  • A pareille époque.
  • A pares.
  • A pari.
    es] Por igual, por semejante.
  • A paris fait on lanternes.
  • A Paris, du temps devant soi, quelle friandise!
    Anne Barratin, 1845-1911
  • <<< 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 >>>

    alphabetical
    A-a A-b A-c A-d A-e A-f A-g A-h A-i
    A-j A-k A-l A-m A-n A-o A-p A-q
    A-r A-s A-t A-u A-v A-w A-y A-z
    Aa Ab Ac Ad Ae Af Ag Ah Ai Aj Ak Al Am
    An Ao Ap Aq Ar As At Au Av Aw Ax Ay Az
    Ba Be

    keywords
    Aa Ab Ac Ad Ae Af Ag Ah Ai Ak Al Am An Aq Ap Ar As At Au Av Aw Ax Az
    Ba Be

    DICTUM operone