DICTUM

A-q

  • A quem deseja morrer, a morte nunca pode faltar.
  • A quem Deus ajuda, o vento lhe (a)junta a palha.
  • A quem Deus ajuda, o vento lhe junta a lenha.
  • A quem Deus bem quer, dá-lhe fartura, não lhe dá mulher.
  • A quem Deus der, São Pedro lha benza.
  • A quem Deus deu, São Pedro que o benza.
  • A quem Deus não açoita, é sinal que não o perfilha.
  • A quem Deus não dá filhos, o diabo dá cadilhos.
  • A quem Deus não dá filhos, o diabo dá sobrinhos.
  • A quem Deus não deu filhos, deu o diabo sobrinhos.
  • A quem Deus promete vintém, não dá dez réis.
  • A quem Deus promete, não falta.
  • A quem Deus prometeu vintém, não dá dez réis.
  • A quem Deus quer ajudar, o vento lhe apanha (a) lenha.
  • A quem Deus quer bem, a casa lhe sabe.
  • A quem Deus quer bem, ao/no rosto lhe vem.
  • A quem Deus quer bem, o vento lhe apanha a lenha.
  • A quem Deus quer dar vida, água da fonte (lhe) é mezinha.
  • A quem Deus quer, (de) outrem não há mister.
  • A quem Deus quis bem, ao rosto lhe vem.
  • A quem devemos temor, temor.
  • A quem disseste o teu segredo, fizeste(-o) senhor de ti.
  • A quem dizes o teu segredo, a ele ficarás sujeito.
  • A quem dizes teu segredo, fazes senhor de ti.
  • A quem dizes tua puridade, dás(-lhe) tua liberdade.
  • A quem do seu foi mau despenseiro, não confies teu dinheiro.
  • A quem dói a cabeça, dói todo o corpo.
  • A quem dói o dente, dói a dentuça.
  • A quem dói o dente, que vá ao dentista.
  • A quem dói o dente, vai à casa do barbeiro.
  • A quem dói o dente, vai a dentuça.
  • A quem dói o queixal, é que sabe do seu mal.
  • A quem dorme descansado, dorme-lhe o cuidado.
  • A quem dorme, não acode a justiça.
  • A quem dou meu bonito livrinho novo?
  • A quem é bruto, prende-se curto.
  • A quem é concedido o fim são concedidos também os meios definidos para esse fim.
  • A quem é de morte, a água lhe é forte.
  • A quem é de vida, a água é medicina.
  • A quem é fiel a recompensa é certa.
  • A quem é infiel no pouco não confiarás o muito.
  • A quem é permitido o mais, não deve não ser permitido o menos.
  • A quem é permitido o que é mais, é permitido também o que é menos.
  • A quem é reconhecido, dá-se mais que o pedido.
  • A quem é rico, não lhe faltam parentes.
  • A quem é rico, sobejam parentes.
  • A quem eles prejudicaram, também odeiam.
  • A quem entende bastam poucas palavras.
  • A quem entende uma palavra basta.
  • A quem errares, não creias.
  • A quem está acostumado, não se deve negar o sono do meio do dia.
  • A quem está em dúvida, a sorte lhe fornece a solução que a razão não lhe pode dar.
  • A quem está são, a água é cura.
  • A quem estava em dúvida, a sorte forneceu a solução que a razão não lhe pôde dar.
  • A quem eu favoreço, esse ganha.
  • A quem falta dinheiro, falta tudo.
  • A quem faz casa ou se casa, a bolsa lhe fica rasa.
  • A quem faz erro e, podendo, mais não faz, por bom o terás.
  • A quem fica cabe morrer ou vencer.
  • A quem foi do seu mau despenseiro, não fies teu dinheiro.
  • A quem hás de dar de cear, não te doa dar de merendar.
  • A quem hás de rogar, não deves anojar.
  • A quem hás de rogar, não deves assanhar.
  • A quem hás de rogar, não hás de agravar.
  • A quem hás de rogar, não hás de assanhar.
  • A quem lhe doer, sofra-se.
  • A quem lhe fala em alhos, responde com cebolas.
  • A quem má fama tem, nem acompanhes, nem digas bem.
  • A quem madruga Deus ajuda.
  • A quem mais se confia, desse mais se exige.
  • A quem mais vive, mais coisas lhe acontecem de pesar.
  • A quem mal queiras, um rocim lhe vejas; e a quem mais mal, um par.
  • A quem mal vive, o medo o segue.
  • A quem matar teu pai, não lhe cries o filho.
  • A quem matares o pai, não lhe cries o filho.
  • A quem medo hão, o seu logo lhe dão.
  • A quem mente, cai-lhe um dente.
  • A quem mordeu a cobra, guarde-se dela.
  • A quem muito dorme, dorme-lhe a fazenda.
  • A quem muito é permitido, convém que deseje pouco.
  • A quem muito foi dado, muito lhe será pedido; e ao que muito confiaram, mais conta lhe tomarão.
  • A quem muito pede, é dada uma recusa carinhosa.
  • A quem muito pode de modo algum convém abusar.
  • A quem muito se abaixa, a calva lhe aparece.
  • A quem muito se abaixa, o rabo lhe aparece.
  • A quem muito se abaixa, vê-se-lhe o rabo.
  • A quem muito se agacha, vê-se-lhe o rabo.
  • A quem muito tem que fazer, sempre sobra lazer.
  • A quem muito tem, dão-lhe mais.
  • A quem muito tem, mais se dá (o. dará).
  • A quem muito tememos, morto o queremos.
  • A quem nada basta, a esse também nada é vergonhoso.
  • A quem nada deseja, nada (lhe) falta.
  • A quem nada tem, Deus o mantém.
  • A quem nada tem, nada lhe falta.
  • A quem nada tem, nada o espanta.
  • A quem não crê verdades, dizem mentiras.
  • A quem não cumpre sua palavra também não temos obrigação de cumprir a nossa.
  • A quem não dávamos vida, de galochas vai à missa.
  • A quem não é permitido o que deseja, que faça o que pode.
  • <<< 1 2 3 4 5 6 7 8 >>>

    alphabetical
    A-a A-b A-c A-d A-e A-f A-g A-h A-i
    A-j A-k A-l A-m A-n A-o A-p A-q
    A-r A-s A-t A-u A-v A-w A-y A-z
    Aa Ab Ac Ad Ae Af Ag Ah Ai Aj Ak Al Am
    An Ao Ap Aq Ar As At Au Av Aw Ax Ay Az
    Ba Be

    keywords
    Aa Ab Ac Ad Ae Af Ag Ah Ai Ak Al Am An Aq Ap Ar As At Au Av Aw Ax Az
    Ba Be

    DICTUM operone