DICTUM

Ao

  • Aos homens de bem acontecem coisas boas.
  • Aos homens é uma recompensa grande e agradável um homem trabalhar com empenho num conhecimento que há de aproveitar a muitos.
  • Aos homens felizes é difícil avaliar corretamente os sofrimentos dos outros.
  • Aos homens o amor nasce do olhar.
  • Aos infelizes serve de consolo ter companheiros de infortúnio.
  • Aos inimigos que fogem deve-se contruir uma ponte de prata.
  • Aos jovens convêm as obras, a ponderação convém aos mais velhos.
  • Aos jovens é a violência que tira a vida, aos velhos é a idade.
  • Aos lobos aparece Santa Maria.
  • Aos magotes.
  • Aos maus ocorrem males.
  • Aos militares convêm coisas mais simples.
  • Aos molhos.
  • Aos montes/montões.
  • Aos mortos e aos ausentes, nem os insultes, nem os atormentes.
  • Aos mortos, sepultura, e aos vivos, escápula.
  • Aos mortos, sepultura, e aos vivos, soltura.
  • Aos nascermos já morremos.
  • Aos olhos da inveja, todo sucesso é crime.
  • Aos olhos de Deus os rogos dos soberbos são bafos fedorentos.
  • Aos olhos tem a morte quem no corcel (o. cavalo) passa a ponte.
  • Aos outros desculparás muitas coisas, a ti, nada.
  • Aos outros perdoa sempre, a ti nunca.
  • Aos pares.
  • Aos parvos ap(p)arecem os santos.
  • Aos pedaços.
  • Aos peixes não se ensina a nadar.
  • Aos pequenos será concedida misericórdia, mas os poderosos serão rigorosamente atormentados.
  • Aos pés.
  • Aos pobres até os cães ladram.
  • Aos poetas é concedido cometer loucuras.
  • Aos poetas é permitido mentir.
  • Aos quarenta, ou vai ou arrebenta.
  • Aos quatro ventos.
  • Aos que aqui vêm, esperança, saúde e vida.
  • Aos que chegam tarde, os ossos.
  • Aos que dormem descansados, dormem os cuidados.
  • Aos que estão preparados sempre prejudica adiar.
  • Aos que levam vida sedentária não convém nem alimentação gordurosa nem abundante.
  • Aos que não sabem, tudo lhes é danoso.
  • Aos que, por ambição, se fingiram honestos, a esses é difícil usar de moderação quando estão no poder.
  • Aos reis, mesmo as coisas que serão úteis devem ser aconselhadas sob uma forma que lhes agrade.
  • Aos remos acrescenta as velas.
  • Aos repelões.
  • Aos retardatários, os ossos.
  • Aos seis assenta, aos sete adenta, ao ano andante, aos dois falante.
  • Aos soluços.
  • Aos tolos, convém adverti-los, não puni-los.
  • Aos tombos.
  • Aos trambolhões.
  • Aos trinta anos, quem não é tolo, é médico.
  • Aos tropeções.
  • Aos valentes não é só a sorte que ajuda, como diz o velho provérbio, mas ajuda muito mais a razão.
  • Aos vencidos cabe aceitar as condições, não impô-las.
  • Aos vinte anos, cabeça louca; aos trinta, riqueza pouca.
  • Aos vinte anos, cabeça oca; aos trinta, riqueza pouca.
  • Aos vinte, cabeça oca, aos trinta, riqueza pouca.
  • Aos/em loros desusado.
  • Aos/em mihares.
  • Aougst meurit bled (blé) grappes et moust.
  • Août mûrit les fruits, septembre les cueille.
    it] Agosto matura, e settembre vendemmia.
  • Août mûrit, septembre vendange ; en ces deux mois, tout bien s'arrange.
  • Août pluvieux, celliers vineux.
  • Août rend malade les enfants, septembre les emmène.
  • <<< 1 2 3 4 5 6 >>>

    alphabetical
    A-a A-b A-c A-d A-e A-f A-g A-h A-i
    A-j A-k A-l A-m A-n A-o A-p A-q
    A-r A-s A-t A-u A-v A-w A-y A-z
    Aa Ab Ac Ad Ae Af Ag Ah Ai Aj Ak Al Am
    An Ao Ap Aq Ar As At Au Av Aw Ax Ay Az
    Ba Be

    keywords
    Aa Ab Ac Ad Ae Af Ag Ah Ai Ak Al Am An Aq Ap Ar As At Au Av Aw Ax Az
    Ba Be

    DICTUM operone