Portugiesische Weisheiten 15


De ruim pano, nunca bom saio.

De ruim pano, nunca bom vestido.

De ruim rosto, nunca bom feito.

De ruim, nunca bom bocado.

De sangue misturado e de moo refalsado me livre Deus.

De sangue misturado e de moo refalsado nos livre Deus.

De sculo em sculo a histria se repete.

De sopas e os amores, os primeiros so os melhores.

De supeto, s espirro.

De tais bodas, tais tortas.

De tais mestres, tais discpulos.

De tais romarias, tais perdes.

De tal acha, tal racha.

De tal rvore, tal fruto.

De tal comeo, tal fim.

De tal gente, tal semente.

De tal madeira, tal acha.

De tal madeiro, tal acha.

De tal mestre, tais discpulos.

De tal ninho, tal passarinho.

De tal pedao, tal retrao.

De tal tenda, tal ferramenta.

De tanto dizer "sim" acabamos dizendo "no" vida.

De tarde madrugar e de tarde casar te hs de lamentar.

De teimas e desordens guarda-te, para no seres testemunha nem parte.

De telhas acima, s Deus e gatos.

De tens a queres o tero perdes.

De teu amigo, o primeiro conselho.

De todos desconfia o corao culpado.

De tosto a tosto se chega ao milho.

De tosto em tosto vai-se ao milho.

De traidor fars leal, com bom falar.

De trs ps livre-me Deus: padre, pombo e parente.

De trigo e aveia, minha casa cheia.

De tua mulher e do amigo esperto, no creias seno o que souberes de certo.

De tua mulher e do amigo esperto, s creias o que souberes de certo.

De tua pele se trata.

De tudo Deus se serve.

De um "sim" e de um "no" nasce toda a questo.

De um argueiro fazer um cavaleiro.

De um caminho, dois mandados.

De um espinho nasce uma rosa, e de uma rosa, um espinho.

De um gosto, mil desgostos.

De um homem mau no se pode fazer um grande homem.

De um homem nscio, s vezes bom conselho.

De uma cajadada matar dois coelhos.

De uma cajadada no se matam dois coelhos.

De uma caminhada fazer dois mandados.

De uma fasca queima a vila.

De uma fasca se queima a vila.

De uma fasca se queima uma cidade.

De uma fasca se queima uma vila.

De uma gota de mel nascem rios de fel.

De uma hora para outra cai a casa.

De uma hora para outra, a casa cai.

De uma lgrima de mulher nasce o perdo.

De uma pancada no se derruba o carvalho.

De uma pancada no se derruba o cavalo.

De uma vaca no se podem tirar duas peles.

De uns, fazeis filhos, e de outros, enteados.

De vspera, todos madrugam.

De vinho abastado, de razo minguado.

De vizinho ruim, nem o diabo quis saber.

De vizinho, abastado, e de razo, minguado.

Debaixo da coberta, tanto vale a branca como preta.

Debaixo da constituio mais livre, um povo ignorante sempre escravo.

Debaixo da manta, tanto vale a preta como a branca.

Debaixo da nogueira, no faas cabeceira.

Debaixo da porta do aposentado cresce capim.

Debaixo de boa palavra, a est o engano.

Debaixo de bom saco, est o homem mau.

Debaixo de bom saio, est o homem mau.

Debaixo de m capa h um bom vivedor.

Debaixo de ruim capa se esconde muitas vezes um bom bebedor.

Debaixo de ruim capa, h um bom dizedor.

Debaixo de ruim capa, jaz um bom bebedor.

Debaixo desse angu tem torresmo.

Debaixo do angu tem carne.

Debaixo do saial h al.

Debaixo do sol nada novo.

Debaixo dos ps se levantam os desastres.

Debaixo dos ps se levantam os trabalhos.

Debaixo duma capa ruim est um bom jogador.

Dedo de espada e palmo de lana grande vantagem.

Dedo que a lei corta, no causa mais dano.

Dem ofcio ao vilo, conhec-lo-o.

Defeitos de meu amigo, lamento, mas no maldigo.

Defender com unhas e dentes.

Defunto no enjeita cova.

Defunto no fala.

Defunto no morde.

Defunto no rejeita cova.

Defunto rico, defunto chorado.

Degolar-se com a prpria mo.

Deita estrume ao po, que as terras to pagaro.

Deita outra sardinha, que outro ruim vem da vinha.

Deita terra sobre terra, sabers o po que leva.

Deitar a pedra e esconder a mo.

Deitar gua na fervura.

Deitar gua no mar.

Deitar azeite no fogo.

Deitar cedo e cedo erguer d sade e faz crescer.

Deitar cedo e levantar cedo d sade, contentamento e dinheiro.

Deitar em saco roto.

Deitar na cama, que lugar quente.

Deitar prolas a porcos.

Deitar sopas e sorver, no pode tudo ser.

Deitar tarde e levantar cedo cria carne e sebo.

Deitar-me e fartar-me, e se eu no dormir, mata-me.

Deita-se o homem pelo cho, por ganhar gabo.

Deita-te a enfermar, sabers quem te quer bem e quem te quer mal.

Deita-te a enfermar, sabers quem te quer bem.

Deita-te a enfermar, sabers quem te quer mal.

Deita-te em tua cama e cuida em tua casa.

Deita-te na tua cama, cuida na tua casa, e no te importe quem pela rua passa.

Deita-te na tua cama, e no te importe quem pela rua passa.

Deita-te sem cear, levantar-te-s sem dever.

Deita-te sem ceia, amanhecers sem dvida.

Deita-te sem ceia, amanhecers sem dvidas.

Deita-te tarde, levanta-te cedo, vers o teu mal e o alheio.

Deitem o noivo no poo, se com a noiva no brincar.

Deitou-se o preguioso, levantou-se o aguoso, e deitou fogo ao palheiro.

Deixa a tua casa, vem-te minha, ters negro dia.

Deixa estar, jacar, que a lagoa h de secar onde os patos vo beber.

Deixa estar, jacar, que a lagoa h de secar.

Deixa estar, para ver como vai ficar.

Deixa fazer a Deus, que santo velho.

Deixa florir, que o que meu h de ser, mo me h de vir ter.

Deixa o boi mijar e farta-o de arar.

Deixa o tacho, que a fervura vem de baixo.

Deixa para l.

Deixar a fonte pelo arroio.

Deixar a tnica pelo burel.

Deixar algum com a cara no cho.

Deixar com a boca aberta.

Deixar como est, para ver como fica.

Deixar fazer a Deus, que santo velho.

Deixar ficar como est, para ver como fica.

Deixar nas pontas do touro.

Deixar o certo pelo duvidoso.

Deixar obrar a Deus, que santo velho.

Deixar para as calendas gregas.

Deixar para o dia de so nunca tarde.

Deixar para o dia de so nunca.

Deixar s canhona com maro, vem o diabo e mete a mo.

Deixa-te de grelos que roubo de azeite.

Deixa-te de grelos, que roubo de azeite.

Deixemos como est, para vermos como fica.

Deixemos de zombar e falemos de siso.

Deixemos pais e avs e por ns sejamos bons.

Deixemos pais e avs e sejamos bons por ns.

Demanda, Deus a manda.

Demandar e urinar levam o homem ao hospital.

Demandar sete ps ao carneiro.

Demasiada bondade necedade.

Dentada de co cura-se com o pelo do prprio co.

Dentada de co cura-se com pelo do mesmo co.

Dente raro, mentiroso.

Dentro de casa, nem chove, nem faz sol.

Depois da batalha aparecem os valentes.

Depois da cabea cortada tolice lastimar a perda dos cabelos.

Depois da calma, a tempestade.

Depois da carne, o queijo.

Depois da casa arrombada, cadeado porta.

Depois da casa feita, a deixa.

Depois da casa roubada, trancas porta.

Depois da doura vem a amargura.

Depois da festa coa na testa.

Depois da festa, coar na testa.

Depois da mijada da cutia, o cachorro pega o faro.

Depois da morte, o remdio.

Depois da ona morta, at cachorro mija nela.

Depois da ona morta, todos metem o dedo na bunda dela.

Depois da pausa, vem a dana.

Depois da sopa, molha-se a boca.

Depois da tempestade, vem a bonana.

Depois das causas, vm os efeitos.

Depois de almoar deitar; depois de cear passos dar.

Depois de almoar, deitar; depois de cear, passos dar.

Depois de beber, cada qual d o seu parecer.

Depois de beber, cada um d seu parecer.

Depois de beber, todos do seu parecer.

Depois de beber, todos so valentes.

Depois de casa feita, a deixa.

Depois de chuva, nevoeiro, tens bom tempo marinheiro.

Depois de comer cada qual d o seu parecer.

Depois de comer e beber, cada um d o seu parecer.

Depois de comer nem uma carta ler.

Depois de comer, cada qual d o seu parecer.

Depois de comer, cuspir no prato.

Depois de comer, nem uma carta ler.

Depois de despedir os hspedes, comeremos o pato.

Depois de escalavrado, untado o casco.

Depois de eu comer, no faltam colheres.

Depois de eu comer, no faltam talheres.

Depois de eu morrer, suceda o que suceder.

Depois de fartos, no faltam pratos.

Depois de feita a coisa, escusado tomar conselho.

Depois de fugir o coelho, todos do conselho.

Depois de fugir o coelho, toma o vilo o conselho.

Depois de jantar, dormir; depois de cear, passos mil.

Depois de lamber, cada um d o seu parecer.

Depois de mim vir quem bom me far.

Depois de mim, o dilvio.

Depois de morto, nem vinha nem horto.

Depois de morto, que me importam os outros?.

Depois de ns vir quem a porta fechar.

Depois de os mais comerem, no faltam colheres.

Depois de peixe, mal o leite.

Depois de peixe, no bom o leite.

Depois de rapar, no h que tosquiar.

Depois de raspar, no h mais o que cortar.

Depois de roubado, portas novas.

Depois de servido, adeus, meu amigo.

Depois de um bom poupador, um bom gastador.

Depois de velho, gaiteiro.

Depois de velho, se torna a menino.

Depois de vindimas, cavanejas.

Depois de vindimas, cavanejos.

Depois do almoo, o deitar, depois de cear, passear.

Depois do asno morto, cevada ao rabo.

Depois do casamento, vem o arrependimento.

Depois do enterro, comeam os elogios.

Depois do fato, todo mundo sbio.

Depois do ladro coloca-se a tranca.

Depois do lobo farto, quis jejuar o dia seguinte.

Depois do mal acontecido, todos o tinham adivinhado.

Depois do mal feito, todos o tinham previsto.

Depois do mal feito, todos sabem como se teria evitado.

Depois do olho furado que se quebra o estrepe.

Depois do purgatrio, a redeno.

Depois do trabalho doce o repouso.

Depois dos anos mil torna a gua a seu carril.

Depois que a cobra morde, que a gente se pega com So Bento.

Depois que muitos filhos pari, nunca mais barriga enchi.

Depois que o diabo come, que chegam as colheres.

Depois que rapar, no h que tosquiar.

Depois que se rapa, no se tosquia.

Depois que te enganei, no mais te amei.

Depois que tenho vacas e ovelhas, todos me fazem cumprimentos.

Depor aos ps de Deus a confiana ter no corao muita esperana.

Deposita um tesouro no sepulcro, quem faz um velho herdeiro.

Depressa e bem, h pouco quem.

Depressa e bem, no faz ningum.

Depressa e bem, no o faz ningum.

Depressa e bem, ningum.

Depressa se apanha o rato que s conhece um buraco.

Depressa se gasta o que depressa se ganha.

Depressa se toma o rato que s conhece um buraco.

Depressa se toma o rato que s sabe um buraco.

Depressa se vai o que depressa vem.

Depressa vai o tempo que depressa vem.

Deputado come milho, periquito leva a fama.

Desarmar o arco no sara ferida.

Descansai, mulheres, que caiu o forno.

Descascar o abacaxi.

Descobre-te perante a rvore que te cobre.

Descobrir um santo para cobrir outro.

Descobriu a plvora!.

Desconfia da generosidade dos que se queixam dos ingratos.

Desconfiana a me da segurana.

Desconfiar de cuva que para de noite e mulher doutro.

Desconfiar de homem que no fala e de co que no ladra.

Desconfiar de homem que no fale e de co que no ladre.

Desconfia-se do futuro, recordando-se o passado.

Desconfia-se sempre daquele que adula o poderoso, e o arrogante desconhece o seu semelhante.

Descuidado sempre necessitado.

Desculpa do amarelo comer terra.

Desde que no me pagam, surdo me fao.

Desde que o mundo mundo.

Desde que vestidos nos vemos, no nos conhecemos.

Desdita e caminho fazem amigos.

Desditas e caminhos fazem amigos.

Deseja o melhor e espera o pior.

Desejar um dos modos de ser pobre.

Desejo chega sem pedir licena.

Desejo de doente, vista de barbeiro, servio de mulher.

Desejo de soledade, muita virtude ou muita maldade.

Desejo e satisfao raro de acordo esto.

Desejos no enchem saco.

Desenterrar os mortos murmurando.

Desfeitas sem razo dobradas so.

Desgraa de dez-tostes se trocar.

Desgraa de pote caminho de riacho.

Desgraa de quem pede sujeitar-se a quem tem.

Desgraa grande faz esquecer a pequena.

Desgraa pouca bobagem.

Desgraa s quer princpio.

Desgraa, quando vem, nem que se feche a porta, ela entra pela janela.

Desgraa, quando vem, vem de chorrilho.

Desgraado o bicho que no engole outro.

Desgraado o cachorro a que se d o osso e ele no come.

Desgraado o cachorro a que se d o osso e ele no pega.

Desgraado o pas em que o sabre da violncia quebra a espada da justia.

Desgraado o pssaro que nasce em mau ninho.

Desleal e bom servidor, virs a ser senhor.

Desmanchar com os ps o que fez com as mos.

Desmanchar e fazer, tudo aprender.

Desmentir com razo bofetada sem mo.

Desonrou-me minha vizinha uma vez, e eu desonrei-me trs.

Despe um santo para vestir outro.

Desperdiar no grandeza.

Despertar o co que dorme.

Despreza teu inimigo, logo sers vencido.

Desprezo da morte honra da vida.

Desprezos h que honram os desprezados.

Desque maus chorei, cada dia me cresce porqu.

Dessa mezinha ponde vs nessa tinha.

Dessa tinha pondes por essa cabecinha.

Desta idade em que estou nunca o doce me amargou.

Desta terra nada se leva.

Deste mato no sai coelho.

Destes e dos ungidos, escapam poucos.

Desventurado o que por tal se julga.

Detesta-se o avarento, porque nada h que ganhar com ele.

Detrs da cruz est o diabo.

Detrs da porta do pobre, toda a vileza se esconde.

Deu Deus na eira, perdeu Maria na maceira.

Deu lenha para se queimar.

Deu-me Deus um ovo, e esse, goro.

Deu-o Deus na eira, perdeu-o Maria na macieira.

Deus aceita a boa vontade.

Deus acuda ementes no acaba a lenha na moreia e a carne na toucinheira.

Deus adiante, o mar cho.

Deus ajuda a quem cedo madruga.

Deus ajuda a quem muito madruga.

Deus ajuda a quem se ajuda.

Deus ajuda a quem trabalha, que o capital que menos falha.

Deus ajuda a quem trabalha.

Deus ajuda o pobre, porque o rico pode ajudar-se.

Deus ajuda o rico, porque o pobre pode pedir.

Deus ajuda os diligentes.

Deus aparta, mas no enforca.

Deus bem sabe o que melhor cabe.

Deus castiga sem pau, nem pedra.

Deus cobre com a capa, e o diabo descobre com o chocalho.

Deus consente, mas no para sempre.

Deus consente, mas no sempre.

Deus cura os doentes, e o mdico recebe o dinheiro.

Deus cura, o mdico manda a conta.

Deus d a barba a uns e a vergonha a outros.

Deus d a canga conforme o pescoo.

Deus d as nozes, mas no as parte.

Deus d asas a quem no sabe voar.

Deus d couves a quem no tem toucinho.

Deus d do seu bem.

Deus d farinha, mas no amassa do po.

Deus d nozes a quem no tem dentes, e dentes a quem no tem nozes.

Deus d nozes a quem no tem dentes.

Deus d nozes, mas no as parte.

Deus d o frio conforme a coberta.

Deus d o frio conforme a roupa.

Deus d o frio conforme o cobertor.

Deus d o mal e a mezinha.

Deus d o mal e d a mezinha.

Deus d o milho a quem no tem jirau.

Deus d o po, mas no amassa a farinha.

Deus d peneira a quem no tem farinha.

Deus da-os e eles juntam-se.

Deus desavenha quem nos mantenha.

Deus deu asas formiga para se perder mais asinha.

Deus diante, o mar cho.

Deus disse ao homem: trabalha, e eu te ajudarei.

Deus disse que quem ganhasse, que se risse.

Deus diz: faze tu, que eu te ajudarei.

Deus bom trabalhador, mas gosta que o ajudem.

Deus bom, e o diabo no mau.

Deus bom, e o diabo no ruim.

Deus brasileiro.

Deus grande, e o mato maior.

Deus grande, e o mundo largo.

Deus mais largo em dar, que ns em pedir.

Deus pai e no padrasto.

Deus que cura, e o mdico leva o dinheiro.

Deus que sara, e o mestre leva a prata.

Deus entre aqui e o diabo em casa dos padres.

Deus escreve direito por linhas tortas.

Deus est ao lado dos mais fortes.

Deus est diante dos amigos.

Deus est no cu.

Deus faz nascer o sol sobre os bons e os maus.

Deus faz o que quer, e o homem, o que pode.

Deus fecha uma porta e abre um cento.

Deus fecha uma porta, mas abre dez janelas.

Deus julga o que conhece, os homens, o que no conhecem.

Deus lhe d uma boa hora.

Deus livre minhas colmeias do que no gosta de mel.

Deus mais tem para dar que o diabo para tirar.

Deus manda o frio conforme o cobertor.

Deus manda trabalhar, no manda adivinhar.

Deus me d contenda com quem me entenda.

Deus me d pai e me na vida e, em casa, trigo e farinha.

Deus me d pai e me na vila e, em casa, trigo e farinha.

Deus me defenda do amigo, que do inimigo me defendo eu.

Deus me livre daquele que estudou num livro s.

Deus me livre de justias novas e chamins velhas.

Deus me livre de maus vizinhos ao p da porta.

Deus me livre do homem de um livro s.

Deus me livre dos bons, que dos outros me livrarei eu.

Deus me livre dos sonsos, que dos outros me livrarei eu.

Deus mede o vento ovelha tosquiada.

Deus mo deu, Deus mo tirou.

Deus mora na igreja, no sai de casa e, inda por cima, se tranca dentro do sacrrio.

Deus no come nem bebe, mas julga o que entende.

Deus no d asa a cobra.

Deus no dorme.

Deus no de vingana, mas castiga pela mansa.

Deus no fez o mundo num dia.

Deus no fia toucas que tira a uma e d a outras.

Deus no l nas caras, e sim nos coraes.

Deus no manda nem cozido nem assado.

Deus no queira nas minhas colmeias abelha que no coma mel.

Deus no quis saber de irmos.

Deus no se ps na cruz por um s.

Deus no se queixa, mas o que seu no deixa.

Deus no se queixa, mas o seu no deixa.

Deus no fogo em palheiro velho.

Deus nos d o boi e no o chifre.

Deus nos guarde de ano que entra com abade e sai com frade.

Deus nos livre de bocas abertas e pessoas mal certas.

Deus nos livre de inimizades de amigos.

Deus nos livre de maus vizinhos de ao p da porta.

Deus nos livre de moa adivinha, de mulher ladina, de hora minguada e de gente que no tem nada.

Deus nos livre de moa adivinha, de mulher latina, de hora minguada e de gente que no tem nada.

Deus nos livre de peste fome e guerra e bispo na terra.

Deus nos livre de quem mal nos quer e bem nos fala.

Deus nos livre de tratar com fraca mulher.

Deus nos livre do etctera de escrivo e do quiproqu de boticrio.

Deus nos livre do mau vizinho d p da porta.

Deus nos livres de bocas abertas e pessoas mal certas.

Deus nunca fechou um porta que no abrisse outra.

Deus o d, Deus o leva.

Deus o deu, Deus o levou.

Deus os fez, Deus os juntou.

Deus os fez, e o diabo os ajuntou.

Deus paga a quem em maus passos anda.

Deus pediu, e no serviu.

Deus por todos, e cada um por si.

Deus protege os bbedos.

Deus protege os inocentes.

Deus que te assinalou, algum defeito te encontrou.

Deus querendo, gua fria remdio.

Deus sabe o que faz.

Deus sabe o que nos est melhor.

Deus se manifestar, e tudo medrar.

Deus s d milho a quem no tem jirau.

Deus tarda, mas no falha.

Deus tarda, mas no falta.

Deus te ajude lavrador no estou com gente meu senhor.

Deus te d em dobro o que me desejares.

Deus te d o bem e casa em que o tenhas.

Deus te d o que te falta, que o fole e a gaita.

Deus te d ovelhas e filhos para elas.

Deus te d sade e gozo, casa com quintal e poo.

Deus te guarde de pena, de dano e de homem descuidado.

Deus te guarde de perda, de dano e de homem denodado.

Deus te guarde do prrafo de legista, o infra de canonista, e etctera de escrivo, e do rcipe de mata-so.

Deus te guarde do prrafo do legista, e do infra do canonista, e do etctera do escrivo, e do rcipe do charlato.

Deus te mate, filho, e o povo ao meu inimigo.

Deus te veja vir, com as pernas a bulir.

Deus tudo pode.

Deus v o que o diabo esconde.

Deus venha com a fartura que a fome ningum a atura.

Deus, assim como d a doena, d o mdico.

Deus, quando d filhos, no fiado nos pais.

Deus, quando fez o dinheiro redondo, foi para ele rodar.

Deus, quando tarda, vem chegando.

Deus, que d a doena, d o remdio.

Deus, que o marcou, alguma coisa nele achou.

Devagar com o andor, que o santo de barro.

Devagar com o andor, que o santo quer mijar.

Devagar e manso se desata qualquer enlio.

Devagar e sempre se chega l.

Devagar e sempre.

Devagar pensa e age depressa.

Devagar pensa e obra depressa.

Devagar se vai ao longe, e quem depressa caminha se consome.

Devagar se vai ao longe.

Devagar tambm pressa.

Devagar, que tenho pressa.

Deve seguir o dar nas ancas do prometer.

Deve temer a muitos aquele a quem muitos temem.

Deve tomar-se o dinheiro por aquilo que ele vale.

Devemos procurar a mulher antes com os ouvidos que com os olhos.

Dever honra; pagar brio.

Dever s ruim para quem deve.

Dever, s a alma a Deus.

Deve-se confiar alguma coisa ao acaso.

Deve-se danar conforme a msica.

Deve-se dar o seu a seu dono.

Deve-se fugir de quem nos louva e aturar quem nos ofende.

Devo, no nego; pagarei quando puder.

Devo, no nego; pagarei quando tiver.

Dia a dia, morreu minha tia.

Dia bom, mete-o em casa.

Dia comprido o que se passa sem comer.

Dia de muito, vspera de nada.

Dia de muito, vspera de pouco.

Dia de purga, dia de amargura.

Dia de S. Silvestre (31 de Dezembro), no comas bacalhau que peste.

<<< operone >>>


DEUTSCH
1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31 32 33 34 35 36 37 38 39 40 41 42 43 44 45 46 47 48 49 50 51 52 53 54 55 56 57 58 59 60 61 62 63 64 65 66 67 68 69 70 71 72 73 74 75 76 77 78 79


ENGLISCH
1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20


FRANZÖSISCH
1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31 32 33 34 35 36 37 38 39 40 41 42 43 44 45 46 47 48 49


ITALIENISCH
1 2 3 4


LATEINISCH
1 2 3 4


PORTUGIESISCH
1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20


SPANISCH
1 2 3 4 5 6 7 8 9 10